Buscar

Gualberto exalta memória de Marcelo Déda no dia em que ele completaria 60 anos



Neste dia 11 de março de 2020, o governador de Sergipe, Marcelo Déda, estaria completando 60 anos de idade. Nascido na cidade de Simão Dias, em 1960, Déda faleceu no dia 02 de dezembro de 2013, em São Paulo, vítima de um câncer. Para saudar a memória de um dos mais importantes integrante do Partido dos Trabalhadores no Brasil, o deputado estadual Francisco Gualberto (PT) foi à tribuna da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (11) e disse que “Marcelo Déda foi um homem de talento singular. E mesmo quem não teve muita aproximação com ele, mas tinha o bom senso de conhecer valores, se sentiria feliz em poder conviver com ele”.

Com um discurso cheio de saudade, Gualberto lembrou que foi líder do governo Déda por dois mandatos na Alese. “O que muito me honrou e continua me honrando. Todos nós sabemos do seu talento como governador do Estado. Não fez tudo o que desejava, até porque o destino não quis que ele terminasse o seu segundo mandato com vida, mas fez muito pelo Estado de Sergipe. E independente das obras físicas, tem um legado da ética, do compromisso, da sua visão progressista, da sua contribuição com a democracia de Sergipe e do Brasil”, afirmou o deputado, que é vice-presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe.

Na tribuna, Gualberto relembrou vários momentos relativos aos anos em que conviveram na política. “Eu comecei a atuar no Partido dos Trabalhadores em 1981 e Marcelo Déda já estava, antes mesmo de ter qualquer mandato, de ser deputado estadual, federal, prefeito e governador. Já se notava o seu brilhantismo, a sua capacidade de formulação, o seu conteúdo muito aprofundado de qualquer assunto ou tema que se imaginasse, demonstrando que teria um brilhante futuro, ou na política ou como advogado”, disse o deputado.

Francisco Gualberto também relembrou que Marcelo Déda foi estagiário do Sindicato dos Químicos de Sergipe (Sindiquímica) na área de Direito. “Eu era da direção do sindicato na ocasião, junto com Rômulo Rodrigues, Edmilson Araújo e Antônio da Cruz, e ali ele já demonstrava qual era a linha que queria seguir, mesmo como advogado, que era a linha da classe trabalhadora, da população mais carente. Ele tinha uma visão de um estado com finalidade social e até da sua formação acadêmica, que servisse aos que mais precisassem”, assegura Gualberto.

A passagem de Marcelo Déda pelo Congresso Nacional, na condição de deputado federal, também foi exaltada por Gualberto, que o considerava o grande destaque do cenário político nacional. “Foi no período em que as grandes redes de informação de massa eram as emissoras de TV, as revistas e os jornais impressos, e Marcelo Déda era sempre destaque no Brasil como líder da oposição ao governo de Fernando Henrique Cardoso. Quem for reler as revistas Veja, Época, Istoé, do período, vai se lembrar da imagem de Marcelo Déda”, disse Gualberto.

Assessoria de Imprensa – Gilson Sousa – DRT 660/SE

2019 Todos os direitos reservados. Equipe de comunicação de Francisco Gualberto