Buscar

Gualberto discorda de moção de aplauso ao dono da Havan aprovada na Alese


O deputado estadual Francisco Gualberto (PT), vice-presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, usou seu espaço na sessão virtual desta terça-feira (18) para informar que não votou a favor da moção de aplauso ao empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, aprovada na semana passada.

“Na quinta-feira passada (13), tive problemas com a internet e não consegui me conectar com a sessão. Posteriormente tomei ciência que foi aprovada nesta Casa uma moção de aplauso ao cidadão da Havan, e a notícia diz que a matéria foi votada por unanimidade. Eu quero fazer dois registros: pode ser que a unanimidade tenha acontecido entre aqueles que estavam na sessão, mas eu não participei dessa votação. E digo mais: se tivesse participado votaria contra”, afirmou o deputado.

“O dono da Havan é aquele que se veste de verde e amarelo para ir para os atos políticos pedindo a volta da ditadura militar, junto com o grupo ao qual pertence liderado pelo presidente da República; ele trabalha para que não haja distanciamento social no Brasil; combate o uso da máscara; financia os atos que atentam contra a vida dos brasileiros diante da pandemia; é aliado do presidente da República que ataca a China para que não tenhamos mais insumos para fabricação da vacina aqui, com está acontecendo neste exato momento”, continuou Gualberto.

O deputado também fez um apelo à Mesa Diretora da Casa. Pede que durante as votações sejam lidos os enunciados das matérias incluídas nas pautas, ao invés de citar apenas os números e os autores. “Nós deputados recebemos as pautas por e-mail, mas as pessoas que nos assistem não sabem o teor das indicações ou moções que estamos votando. A leitura não atrapalhará em nada, é apenas para deixar mais claro para o público o conteúdo do que estamos votando”, disse.

Por fim, Francisco Gualberto reforçou seu entendimento sobre o dono da Havan homenageado pela Alese. “Soube que ele está trazendo um empreendimento para Aracaju. Mas pela sua postura anti-vacina, anti-máscara, e como ator que trabalha a favor do vírus e da morte, até me pergunto: será que o empreendimento que está trazendo é uma funerária?”, questionou, revelando que ficou triste ao ver um colega deputado propor a moção de aplauso “a quem não tem qualquer respeito pela vida humana”. “Até me sinto triste quando alguém que trabalha para que o outro morra, receba uma moção de aplauso. É uma aberração”, concluiu Gualberto, citando uma frase popular para definir Luciano Hang: “Trata-se de um carcará sanguinário”.


Assessoria de Imprensa – Gilson Sousa – DRT 660/SE


0 comentário