Buscar

Gualberto diz que pesquisa eleitoral é instrumento de indução



Na primeira sessão legislativa após a eleição de domingo, dia 2, os deputados estaduais travaram um pequeno debate sobre os erros e acertos dos institutos de pesquisa em Sergipe. Após ouvir do deputado Luciano Pimentel (PSB) elogios ao instituto Dataform, ligado ao jornal semanário Cinform, o líder do governo na Assembleia, deputado Francisco Gualberto (PT) fez uma série de ponderações em contraponto aos elogios do colega. “Acredito que a questão não é essa. Pesquisa eleitoral em todo o Brasil não é instrumento de informação. É instrumento de indução. E esse é o debate que devemos fazer”, disse.

Para Francisco Gualberto, tanto Pimentel quanto o Pastor Antônio dos Santos (PSC), que também elogiou o Dataform, fizeram isso porque os números apresentados na pesquisa do sábado – um dia antes da eleição -, foram favoráveis ao candidato deles em Aracaju, que é Valadares Filho (PSB). “Vivemos num país capitalista. Os institutos, naturalmente, recebem para fazer a pesquisa e depois publicar. E quando a pesquisa é boa para um lado, é claro que virão os elogios”, analisou.

O deputado Francisco Gualberto se declarou um bairrista, defensor dos institutos locais, mas mostrou certa preocupação com o trabalho do Dataform. Segundo ele, em Umbaúba, quando na eleição de 2012 o então candidato a reeleição na prefeitura havia contratado o mesmo instituto para uma pesquisa a ser divulgada poucos dias antes do pleito, nada saiu conforme os números apresentados à população. Realizada, a pesquisa dava uma vantagem de 15% sobre o segundo colocado. O problema é que quando abriram as urnas o candidato à reeleição que havia contratado a pesquisa perdeu com uma diferença de 6%. “Ou seja, houve um erro de 21% na pesquisa”, lembrou Gualberto, dizendo que certas pesquisas costumam “iludir os candidatos”.

Sobre a eleição da capital, que irá para o segundo turno no dia 30 de outubro com Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Valadares Filho, o deputado Gualberto disse que o povo saberá escolher o melhor projeto. “Temos a convicção que somos o grupo mais preparado para governar Aracaju. Não somos uma promessa, uma invencionice ou expectativa. Mas o grande juiz que dará o veredicto será a população, o povo. Por isso respeitaremos o resultado das urnas, mas com a convicção de que o nome de Edvaldo Nogueira é o melhor para a cidade”, disse Gualberto. Em Sergipe, além do Dataform, os institutos Ibope, Paraná, Única e Dataplan também divulgaram variadas pesquisas durante o período eleitoral.

Assessoria de Imprensa – Gilson Sousa – DRT 660/SE


2019 Todos os direitos reservados. Equipe de comunicação de Francisco Gualberto