Buscar

Petistas fazem homenagem a Dutra no plenário da Alese



Deputados estaduais do Partido dos Trabalhadores prestaram uma homenagem na sessão desta segunda-feira (5) ao ex-senador da República por Sergipe e ex-presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra. Vitima de câncer, ele morreu no domingo (4) e seu velório e cremação do corpo aconteceram em Belo Horizonte (MG), cidade onde vivia. “Ele defendeu o Estado de Sergipe como poucos fizeram. Esse é o testemunho de quem conviveu com ele no movimento sindical e político durante muitos anos”, disse emocionado o deputado Francisco Gualberto.

Para Gualberto, Dutra foi um dos maiores senadores da história de Sergipe. “Não é somente porque exerceu o mandato pelo PT, é pela qualidade do mandato, cujas ações ecoavam no país inteiro”, lembrou o líder do governo na Assembleia Legislativa. José Eduardo Dutra foi eleito senador por Sergipe em 1994, e atualmente era o primeiro suplente do senador Antônio Carlos Valadares (PSB).

No seu discurso, o deputado Gualberto relembrou vários fatos da vida sindical e política de Dutra, destacando a sua passagem pela presidência da Petrobras, onde assumiu o cargo em 2003, no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e permanecendo até julho de 2005. “Ele tinha compromisso com os trabalhadores e com sua história. Ele foi um estadista, como senador e como presidente da maior empresa estatal do país”, afirmou Gualberto.

O deputado também citou os benefícios trazidos por Dutra para Sergipe quando presidiu a Petrobras, entre eles a total revitalização do Museu de Arte Sacra em São Cristóvão, a construção de monumentos em Carmópolis e a reforma geral do Parque da Sementeira, em Aracaju. Vários deputados fizeram aparte no discurso de homenagem, entre eles Luciano Pimentel (PSB), Pastor Antônio dos Santos (PSC) e Maria Mendonça (PP). A deputada petista Ana Lúcia também fez discurso em homenagem a Dutra, acompanhado por dezenas de militantes petistas e dirigentes sindicais nas galerias da Alese.

José Eduardo Dutra nasceu no Rio de Janeiro, mas fez carreira política em Sergipe. Ele assumiu a presidência nacional do PT em 2010, mas ficou no cargo apenas até abril de 2011, devido a problemas médicos. Em 2007 também havia sido presidente da BR Distribuidora, deixando o cargo em janeiro de 2009. Em Sergipe, foi presidente do Sindicato dos Mineiros do Estado, entre 1989 e 1994, e dirigente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), de 1988 a 1990.

Assessoria de Imprensa – Gilson Sousa – DRT – 660/SE


2019 Todos os direitos reservados. Equipe de comunicação de Francisco Gualberto