Buscar

Gualberto diz que oposição faz política do oportunismo com queda da ponte



A queda da ponte sobre o rio Cotinguiba no sábado passado, que causou rompimento de dutos da adutora do rio São Francisco que abastece de água parte da Grande Aracaju, foi motivo de discussão acirrada entre oposição e situação no plenário da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 12. Líder da oposição, o deputado Capitão Samuel colocou a culpa do acidente no governo do Estado, apontando falta de manutenção da estrutura da ponte na BR 101 que há décadas estava interditada para passagem de veículos.

Discordando com veemência, o líder do governo, deputado Francisco Gualberto (PT), disse que Samuel não tem autoridade técnica alguma para apontar diagnóstico sobre a causa do acidente. “Pelo discurso, ele tem tendência a fazer narração de velório, e ainda falando mal do defunto”, ironizou Gualberto, garantindo que o momento é de buscar soluções para o problema do abastecimento de água, e não de fazer politicagem com o acidente.

“O momento não é de buscar culpados, e sim soluções. O governo do Estado agiu rapidamente, com a ajuda da Petrobras, da Fafen, do Dnit, da Policia Rodoviária Federal e outros órgãos. Todos estão colaborando porque se trata de uma emergência, mas Samuel quer fazer a política do oportunismo. Ele está confundindo uma ação policial com a forma de atuação de um governo, e por isso que apontar culpado e mandar prender”, disse Gualberto.

Segundo o líder da situação, o governador Jackson Barreto vem buscando todos os recursos para solucionar o problema o quanto antes. E isso o próprio Capitão Samuel reconhece. “Mesmo com um acidente daquele tamanho, o governo vai cumprir o que disse: até esta sexta-feira estará com pelo menos 80% do fornecimento de água restabelecido”, afirmou Gualberto. “Capitão Samuel é deputado, e não engenheiro. Fez um laudo de cuspe”, rebateu o petista.

Discussão - Num determinado momento de seu discurso, Samuel teve a infelicidade de insinuar que no Partido dos Trabalhadores todo mundo rouba. O fato despertou a indignação de Francisco Gualberto e Ana Lúcia, deputados petistas há quatro mandatos. “Não dá para ver uma pessoa que é de um grupo cheio de corruptos, ir para a tribuna dar uma de moralista e criticar a corrupção. Se ele (Capitão Samuel) quiser, trago aqui a lista de todos os corruptos do PSDB, inclusive com condenações”, disse, lembrando que Samuel pertence ao grupo político de Aécio Neves, André Moura, Eduardo Amorim e até João Alves Filho.

Francisco Gualberto pediu mais cautela ao colega oposicionista ao falar em corrupção no país, já que não é somente no PT que existem pessoas ligadas a práticas ilegais na política. “Eu não faço essa política do denuncismo. É por causa disse que o Legislativo é o poder mais desmoralizado do Brasil. As pessoas querem fazer a política desmoralizando umas às outras no mesmo poder. Existem problemas no Judiciário e no Ministério Público, mas ninguém comenta nada”, indignou-se Gualberto. “Portanto, vá cuidar dos seus ladrões, dos seus corruptos, Capitão Samuel. Porque dos corruptos do PT a justiça já está cuidando”, aconselhou.

Gilson Sousa – Assessoria de Imprensa – DRT – 660/SE


2019 Todos os direitos reservados. Equipe de comunicação de Francisco Gualberto